CONVIDADOS ESPECIAIS
Confirmados


  • GEORGES L. BASTIN (VÍDEO CONFERÊNCIA)

Georges L. Bastin, doutor da Universidade Sorbonne Nouvelle Paris III, é professor titular na Universidade de Montreal. Seus campos de pesquisa são a pedagogia e a história da tradução. É autor de ¿Traducir o adaptar? (1998), coautor de Iniciación a la traducción. Enfoque interpretativo. Teoria y práctica (2006), de Charting the Future of Translation History (2006) e de Profession traduteur (2012). Dirigiu dois números de META (2004 e 2005) e codirigiu três números de TTR (2008 e 2010). Publicou diversos capítulos em livros coletivos, em Routledge Encyclopaedia of Translation Studies (2008) e Diccionario histórico de la traducción en Hispanoamérica (2013), bem como artigos em várias revistas. Ele dirige o grupo de pesquisa em História da Tradução na América Latina HISTAL desde 2004. É tradutor credenciado e formador da OTTIAQ, e foi presidente da Associação Canadense de Tradutologia (ACT/CATS) de 2006 a 2010. Atualmente é diretor da revista META e presidente da Associação Canadense das Escolas de Tradução (ACET).


  • Andrew Benson

É tradutor de grego, formado pela Universidade Nacional Capodistriana de Atenas 1985), de italiano  (Universidade de Bolonha, 1992 e 1993), e foi diplomado em russo pela Universidade Estatal de São Petersburgo. Ele se formou com honras, também, no estudo de Línguas Modernas na Universidade de Oxford (1982-1986).

Seu trabalho como tradutor inclui o realizado para entidades como o Parlamento Europeu, o Comitê Econômico e Social da Comunidade Europeia, o Conselho Europeu, a Assembleia Parlamentar da OSCE, agências privadas e órgãos das Nações Unidas, entre eles a UNESCO, sede das Nações Unidas em Genebra, World Food Programme (WFP), Convênio sobre a Diversidade Biológica (CBD), Organização Internacional do Trabalho (OIT) e Comissão Econômica para a América Latina (CEPAL).

Ele colaborou, desde 1988 até 1995, como correspondente em inglês e francês para a Rádio Vaticano.

Entre as publicações de sua autoria se destacam os guias de atrações turísticas editadas pela Penguin, Romain Pages, e AA Publishing desde 1991, para as quais seu amplo desempenho em diversas cidades forneceu as bases.




  • JORGE DE BUEN

Jorge de Buen (México, 1956) estudou Design para a Comunicação Gráfica na Universidade Autónoma Metropolitana e é bacharel em Ciências da Comunicação. Ele tem trabalhado como desenhista gráfico, caricaturista, ilustrador e pesquisador de mercados. Jorge também tem ministrado cursos, oficinas e palestras sobre tipografia e design editorial em importantes universidades de países como Argentina, Chile, Brasil, México, Estados Unidos, El Salvador, Canadá, Espanha, Panamá e Uruguai. Ele é autor dos livros Manual de diseño editorial (4.ª edição, Gijón: Trea, 2014), Introducción al estudio de la tipografía (Guadalajara: Editorial Universitaria, 2011; Gijón: Trea, 2011), Diseño, comunicación y neurociencias (Gijón: Trea, 2013) e Palabras Mayores. El libro (com Alberto Gómez Font, Antonio Martín e Xosé Castro Roig; Barcelona: Larousse, 2015). Escreve regularmente para diversos meios. Jorge é membro da Associação Tipográfica Internacional (ATypI) e do grupo Palabras Mayores.




  • FREDERIC CHAUME

Frederic Chaume é catedrático do Departamento de Tradução e Comunicação da Universidade Jaume I (Espanha) e Honorary Professor da University College London (Grã Bretanha). É autor de numerosas publicações sobre tradução audiovisual, entre as quais cabe mencionar Doblatge i subtitulació per a la televisió (Vic: Eumo, 2003), Cine y Traducción (Madri: Cátedra, 2004), Audiovisual Translation: Dubbing (Londres: Routledge, 2012) e Teories Atuals de la Traducció (Alzira: Bromera, 2010, junto com Cristina García). É diretor do grupo de pesquisa consolidado TRAMA (Tradução e Meios Audiovisuais, www.trama.uji.es). No âmbito profissional, desde 1988 traduziu mais de cem obras audiovisuais para diferentes estúdios de dublagem e legendagem, para Rádio Televisão Valenciana e para diversas produtoras cinematográficas, e recebeu o Prêmio Berlanga 2010 por sua trajetória em apoio do setor profissional da dublagem e na formação de tradutores.



  • JORGE DÍAZ-CINTAS

Nascido em Barcelona, criado em Albacete e educado em Valência, Jorge Díaz-Cintas morou a maior parte de sua vida em Londres e na atualidade é diretor do Centre for Translation Studies (CenTraS) na University College London. Ele escreveu numerosos artigos e livros centrados na tradução audiovisual, entre os quais podemos destacar os seguintes em inglês: Audiovisual Translation: Subtitling (com Aline Remael, 2007), The Manipulation of Audiovisual Translation (número especial de META, 2012) e Audiovisual Translation – Taking Stock (coord., 2015). Em espanhol é autor das obras Teoría y práctica de la subtitulación (2003) e La traducción audiovisual: el subtitulado (2001). De 2002 a 2010, foi o presidente da European Association for Studies in Screen Translation e agora é um de seus diretores. É editor chefe da série New Trends in Translation Studies, membro do grupo internacional de pesquisa TransMedia e consultor experto do projeto da União Europeia EU LIND-Web. Ele recebeu o Jan Ivarsson Award (2014) e o prêmio Xènia Martínez (2015) por seus serviços no campo da tradução audiovisual.




  • Jorge Dubatti

Jorge Dubatti (Buenos Aires, 1963) é crítico, historiador e docente universitário especializado em teatro. Doutor (área de História e Teoria das Artes) pela Universidade de Buenos Aires. Prêmio Academia Argentina de Letras ao melhor graduado 1989 da UBA. Ele é Professor Adjunto Regular (responsável) de História do Teatro Universal (Curso de Artes, UBA). É Diretor por concurso público do Instituto de Artes do Espetáculo da Faculdade de Filosofia e Letras da UBA. Coordena a Área de Pesquisas em Ciências da Arte (AICA) no Centro Cultural da Cooperação Floreal Gorini. Fundou e dirige desde 2001 a Escola de Espectadores de Buenos Aires, que conta com 340 alunos. Ele é Diretor Geral da Aula de Espectadores de Teatro da Universidade Nacional Autónoma de México (UNAM). Publicou mais de cem volumes  (livros de ensaios, antologias, edições, compilações de estudos, etc.) sobre teatro argentino e universal. É responsável pela edição do teatro de Eduardo Pavlovsky, Ricardo Bartís, Rafael Spregelburd, Daniel Veronese, Alejandro Urdapilleta, Alberto Vacarezza, entre outros. Entre seus livros encontramos Filosofia del Teatro I, II e III, Concepciones de teatro. Poéticas teatrales y bases epistemológicas, Del Centenario al Bicentenario: Dramaturgia. Metáforas de la Argentina en veinte piezas teatrales 1910- 2010 (encarregado pelo Fundo Nacional das Artes), Cien años de teatro argentino, Teatro- matriz, teatro liminal. Estudios de Filosofía del Teatro e Poética Comparada.  Ele recebeu numerosos prêmios, entre eles Shakespeare 2014, María Guerrero 2014, Menção Especial do Prêmio Nacional na categoria Ensaio Artístico por seu livro Introducción a los estudios teatrales. Propedéutica de 2012. Em 2015, o Reitorado da Universidade de Buenos Aires lhe outorgou o Prêmio à Excelência Acadêmica e a Honorável Câmara dos Deputados declarou de Interesse “a obra do crítico cultural e cientista da arte Dr. Jorge Dubatti”.





  • CHRIS DURBAN

Chris Durban é tradutora freelance localizada em Paris, onde traduz textos de negócios do francês para o inglês para clientes exigentes: acionistas, clientes e sócios de uma variedade de empresas e instituições francesas. É autora de "Translation, Getting it Right", um guia breve para compradores de tradução atualmente traduzido para 15 línguas, e sua obra complementar "Interpreting, Getting it Right". Chris escreveu a coluna de conselhos "Fire Ant & Worker Bee", que foi publicada em Translation Journal e será lançada novamente em setembro deste ano em seu próprio site. Em 2010, publicou uma compilação atualizada e revisada das colunas FA&WB em forma de livro: "The Prosperous Translator". Além disso, colaborou em "101 Things a Translator Needs to Know", um trabalho coletivo publicado em 2014. Chris dá palestras/oficinas de especialização em forma regular, trabalhando com clientes diretos e escrevendo, e tem publicado muitos artigos. Maiormente enfatiza os benefícios que tradutores e clientes podem ter quando os linguistas assumem um enfoque proativo. A cada dois anos, coorganiza o "Université d'été de la traduction financière" do SFT, um evento de três dias especialmente desenhado para tradutores financeiros. Ensina sozinha e com outros profissionais vários cursos de um dia para o SFT, em particular "Réussir son installation et se constituer une clientele". Em 2009, lançou "Translate in the Catskills", uma master class por escrito realizada no norte de New York e desenhada especificamente para tradutores que desejam se posicionar no setor premium do mercado. Este evento se transformou em um evento anual, primeiro em Québec e mais recentemente na França ("Translate in Chantilly"). Chris trabalhou no Conselho Consultivo do programa "Optimale" da Comissão Europeia. É membro do SFT e da ATA, e Fellow do ITI (Reino Unido). Anterior presidenta do SFT, recebeu o prêmio Gode Medal da ATA em 2001 e atualmente é membro da Diretoria da ATA.




  • Bryan Garner (VÍDEO CONFERÊNCIA)

Bryan A. Garner é autor de mais de vinte livros sobre temas jurídicos e linguagem geral. Sua obra máxima é a terceira edição de Garner’s Modern American Usage, publicada pela editora Oxford University Press. Ele também tem sido reconhecido por seu trabalho como editor responsável do elogiado Black’s Law Dictionary, atualmente em sua décima edição. Desde o ano de 1991, Bryan tem capacitado mais de 125.000 advogados, juízes e outros integrantes do âmbito judiciário mediante seminários de especialização ministrados nos Estados Unidos e no exterior. Sua companhia, Law Prose, Inc., com sede em Dallas, é a principal fornecedora de cursos sobre redação de documentos e textos jurídicos do país. O falecido romancista e ensaísta David Foster Wallace, em um de seus artigos para a revista Harper’s, referiu-se a Garner como “um gênio, porém de uma espécie particular… Ele é advogado, mas também lexicógrafo (o que se parece com ser um traficante de drogas e, ao mesmo tempo, um agente da DEA)”.




  • ANDREW GRAHAM-YOOLL

Andrew Graham-Yooll (Buenos Aires, 1944), jornalista, escritor e poeta. Entrou na redação do jornal Buenos Aires Herald em 1966. Em 1976 partiu para o exílio com sua família. Ele se desempenhou nas redações do The Daily Telegraph (1976-77) e no The Guardian (1977-84). Foi diretor das revistas britânicas South (1985-88) e Index on Censorship (1989-1993). Em 1993 foi Fellow no Wolfson College, Universidade de Cambridge; também, no Queen Mary’s College, Universidade de Londres. Diretor e presidente da diretoria do Buenos Aires Herald (1994-2007). Foi Ombudsman no jornal PERFIL entre 2008 e 2013. Traduziu três antologias bilíngues de poetas argentinos, cumbia villera ao inglês e três peças de teatro da série Teatro x la Identidad (Teatro pela Identidade), publicadas e apresentadas em Londres. É possível que ele seja o único argentino incluído nas antologias críticas de Harold Bloom (EUA), com um ensaio sobre Eugene O’Neill. Publicou uns trinta livros em inglês e espanhol. Traduziu dez livros de tiras de Mafalda, de Quino, e três livros de Gaturro, de Nik.



  • Amparo Hurtado Albir (VÍDEO CONFERÊNCIA)

Amparo Hurtado Albir é Catedrática do Departamento de Tradução e Interpretação da Universitat Autònoma de Barcelona (UAB) desde 1999. Ela tem sido professora de tradução francês-espanhol e de Tradutologia na ESIT da Université Sorbonne Nouvelle, na Universitat Jaume I (UJI) e na UAB. Tem dirigido projetos de pesquisa sobre didática da tradução e sobre aquisição da competência tradutora na UJI e na UAB. É a pesquisadora principal do grupo PACTE, que, desde 1997, leva a cabo uma pesquisa experimental sobre a aquisição da competência tradutora em tradução escrita. Amparo é autora de numerosas publicações sobre teoria da tradução, didática da tradução e competência tradutora. Entre elas, cabe salientar La notion de fidélité en traduction (1990), Enseñar a traducir (1999), Traducción y Traductología (2001, 2011 5ª ed. rev.) e Aprender a traducir del francés al español. Competencias y tareas para la iniciación a la traducción (2015). Dirige a série Aprender a traducir.



  • Liese Katschinka

Tradutora e intérprete formada pela Universidade de Viena em 1968. Ela tem trabalhado como intérprete independente de conferências (AIIC, alemão, inglês, francês) para organizações internacionais (ONU, OSCE, Conselho Europeu, União Europeia, Conselho das Ordens dos Advogados da União Europeia, organizações profissionais europeias e internacionais, empresas multinacionais e bancos), como intérprete certificada de tribunais (alemão, inglês), e também como tradutora de inglês técnico-científico. Liese teve uma ativa participação em diversas associações profissionais locais e internacionais, tais como a Secretaria Geral da UNIVERSITAS e a Associação Austríaca de Tradutores e Intérpretes, desde 1982 até 1991. Foi vice-presidente da Federação Internacional de Tradutores (FIT) desde 1984 até 1987, secretária geral da FIT desde 1993 até 1999, vice-presidente da Associação Austríaca de Intérpretes de Tribunais, presidente da Comissão de Interpretação em Tribunais e Tradução Jurídica da FIT, membro da Comissão de Intérpretes Legais e de Tribunais da AIIC e presidente da EULITA (Associação Europeia de Intérpretes e Tradutores Jurídicos) desde 2009. Ela tem trabalhado intensamente na elaboração de normas de qualidade para tradutores e intérpretes (ÖNORM D 1200 e EN 15038). Atualmente, é chefe de projeto para uma norma ISO sobre interpretação jurídica. Ela escreveu para diferentes revistas profissionais um grande número de artigos sobre interpretação em tribunais, garantia de qualidade, construção de associações, etc. e realizou mais de uma dúzia de apresentações nestes temas em diferentes conferências internacionais.




  • Marianne Lederer

Por motivo de doença, Marianne Lederer não poderá estar presente em Buenos Aires. Sua comunicação será lida por Laura Bertone.

Desde 2002, Marianne Lederer é professora emérita na Universidade Sorbonne Nouvelle - Paris III. Começou sua carreira em 1960 como intérprete de conferências. Depois de um doutorado sobre interpretação simultânea cursado na Universidade Sorbonne - Paris IV em 1978, foi nomeada professora na Universidade Paris XII Val de Marne em 1979, e depois em Paris III em 1985. Ela dirigiu a ESIT (École Supérieure d’Interprètes et des Traduteurs) e o Centro de Pesquisa em Tradutologia de Paris III de 1990 a 1999. Publicou, entre outras obras, Interpréter pour traduire (París: Didier Erudition, 1984) cuja quinta edição foi publicada em 2014 em Les Belles Lettres, a Pédagogie raisonnée de l’interprétation (Luxemburgo e Paris: Escritório de Publicações Oficiais das Comunidades Europeias). Também publicou numerosos artigos, o último recentemente publicado sob o título «Modern Hermeneutics: a New Approach to the Translation of Culture» (2015). Continua difundindo a teoria interpretativa da tradução no mundo (São Paulo em 2013, Teerã e Beirute em 2014, Bruxelas e Beirute em 2015).




  • CRISTINA MACÍA (vídeo conferência)

Madri, 1965. Formada em Filosofia, Cristina começa traduzindo textos para publicações como BEM, Parsifal, Urich, Gigamesh e Blade Runner Magazine, e cartuns (Quarteto Fantástico, Os novos Vingadores, Dark Guard, Star Wars, Conan o Bárbaro, Clássicos Marvel...). Também foi coordenadora de coleções como Barbie, da Planeta-DeAgostini. Em 2005, ela publica seu primeiro romance de literatura juvenil, Una casa con encanto.

Cristina também é autora de diversos livros de cozinha. Já traduziu Ian Watson, Enid Blyton, Kevin J. Taylor, Terry Pratchett, Gina Kolata, Frances Fyfield, Minette Walters, Tim Powers, Michael Robotham e Robert Holdstock, e a saga Canção de gelo e fogo, de George R. R. Martin. Foi coordenadora literária da Semana Negra (Gijón) e na atualidade organiza em Avilés o festival Celsius 232, dedicado à fantasia, ao terror e à ficção científica. Também organizou exposições, como a dedicada a Sherlock Holmes no Primeiro Salão do Cartum de Madri (1994). Ela dirige a editora Palabaristas Press, que até o momento tem publicado Rolo Díez, Juan Ramón Biedma, Amir Valle, Guillermo Orsi, Rebeca Murga, Ian Watson, Susana Vallejo e José Antonio Cotrina, além da antologia de contos de ficção científica escrita por mulheres Alucinadas.




  • ANTONIO MARTÍN

Antonio Martín (Madri, 1970) é sócio fundador da Cálamo & Cran (www.calamoycran.com); diretor de La lectora futura (www.lalectorafutura.com); Fundador da UniCo, a Unión de Correctores (www.uniondecorrectores.org); e membro do grupo Palabras Mayores (www.palabrasmayores.org). Simultaneamente, cursou seu bacharelado em Filologia Hispânica e começou a trabalhar no mundo editorial, no ensino do espanhol e no jornalismo. Em 2005, com um grupo de profissionais da revisão, constituiu a Unión de Correctores de Espanha, da qual foi presidente até 2015. Ele tem sido um dos promotores, junto com Molino de Ideas e Xosé Castro, do encontro Lenguando: um espaço para reunir os profissionais que trabalham em diferentes âmbitos da linguagem. Em 2015 fundou La lectora futura, o meio de comunicação do mundo do livro em espanhol. Foi nomeado sócio de honra da Casa del Corrector da Fundación LITTERAE.



  • José Luis Moure

José Luis é Professor em Letras, formado pela Faculdade de Filosofia e Letras (UBA) e Doutor em Filosofia e Letras pela mesma universidade. Professor Titular Regular de História da Língua (anteriormente, Filologia Hispânica) e diretor da Cadeira Livre de Estudos Árabes na mesma faculdade, onde ministra também Dialetologia Hispano- americana e Linguística Diacrônica.

Ele é Pesquisador Independente do CONICET (Conselho Nacional de Pesquisas Científicas e Técnicas), onde também trabalha como diretor do IIBICRIT (Instituto de Pesquisas Bibliográficas e Crítica Textual),  que resultou da fusão administrativa do SECRIT (Seminário de Edição e Crítica Textual “Germán Orduna”) com o Instituto de Pesquisas Bibliográficas “Antonio J. Zinny”. É diretor da revista Incipit. Dirigiu diversos projetos de pesquisa subvencionados pela Universidade de Buenos Aires e pela Agência de Promoção Científica do Ministério da Ciência e Tecnologia. Ele tem participado como palestrante em numerosos congressos nacionais e internacionais.

É autor de numerosos artigos de sua especialidade. Editou Verdadera relación de la conquista del Perú y provincia del Cuzco de Francisco de Jerez. É coautor do estudo introdutório da edição da Crónica del Rey Don Pedro de Castilla realizada por Germán Orduna, de cuja versão abreviada prepara a edição crítica, bem como a Crónica de Enrique III, em colaboração com Jorge Ferro.

José Luis é membro correspondente da Real Academia Espanhola. Foi escolhido acadêmico de número da Academia Argentina de Letras em 30 de novembro de 2000, para ocupar a cadeira “Bartolomé Mitre”.

Mais informação sobre seu currículo: http://www.aal.edu.ar/?q=node/140.




  • JOAQUÍN MÜLLER-THYSSEN

Nascido em San Sebastián (Guipúzcoa) no ano de 1958, jornalista de profissão, ocupa o cargo de diretor geral da Fundación del Español Urgente (Fundéu BBVA) desde o início, em fevereiro de 2005. Anteriormente, ele ocupou o cargo de diretor dos Departamentos de Gráfica e de Televisão da Agencia Efe. Também foi diretor adjunto na Direção de Informação como intermediário com o conselho de especialistas para a reforma dos meios de comunicação públicos, bem como na Secretaria Geral da mesma empresa, na qual começou seu percurso profissional no ano de 1982, como jornalista de política nacional.

Ele também foi correspondente no País Basco e cronista parlamentar no Congresso dos Deputados. Na Televisão Espanhola, ele foi chefe da Área de Nacional dos Serviços Informativos nos anos 1996-1997 e redator chefe dos jornais do canal privado de televisão Telecinco, desde 1993 até 1996. Joaquín é bacharel em Ciências da Informação, ramo de jornalismo, pela Universidade Complutense de Madrid em 1981.




  • FERNANDO PRIETO RAMOS

Fernando Prieto Ramos é catedrático de Tradução (EN-ES e FR-ES) e diretor da Unidade de Espanhol da Faculdade de Tradução e Interpretação da Universidade de Genebra. Atualmente, ele ocupa também o cargo de decano e dirige o Centro de Estudos de Tradução Jurídica e Institucional (Transius) de sua faculdade, do qual ele foi o impulsionador. Fernando conta com uma dupla formação, em Direito e em Tradução e Interpretação (Primeiro Prêmio Nacional de Estudos Universitários na Espanha), bem como um doutorado em Linguística Aplicada pela Dublin City University, onde ele trabalhou como professor e pesquisador do Centre for Translation and Textual Studies.

Em 2003, passou a integrar a folha de tradutores com especialização jurídica da Organização Mundial do Comércio, depois de vários anos de exercício profissional como tradutor autônomo para outras entidades nacionais e internacionais, e como tradutor e intérprete juramentado. Ele publicou numerosos trabalhos sobre tradução jurídica e análise do discurso, e obteve diversos prêmios de pesquisa e docência, como o European Label Award for Innovative Methods in Language Teaching (Comissão Europeia, 2002) ou o International Geneva Award (Swiss Network for International Studies, 2015). http://transius.unige.ch/en/members/members/fernando-prieto-ramos/




  • MIGUEL SÁENZ

Miguel Sáenz Sagaseta de Ilúrdoz é tradutor de autores alemães. São especialmente amplas suas traduções para o espanhol de Bertolt Brecht, Günter Grass, W. G. Sebald e Thomas Bernhard, de quem também escreveu uma biografia. Além disso, ele traduziu do inglês romancistas como William Faulkner, Henry Roth e Salman Rushdie. Miguel foi tradutor de inglês para a Organização das Nações Unidas (ONU), em suas sedes de Nova York, Genebra e Viena, entre 1965 e 1970, depois de pedir uma licença, e ao voltar a Madri continuou vinculado à ONU. Além disso, ele tem sido tradutor da Organização Mundial do Comércio, da Organização Pan-Americana da Saúde, da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação e do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola.

Por sua reconhecida qualidade, Miguel recebeu em 1981 o Prêmio Fray Luis de León por sua tradução de El rodaballo (O linguado), de Günter Grass; e em 1991, o Prêmio Nacional à obra de um tradutor. Sua consagração estrangeira chegou seis anos depois, com a Medalha Goethe (Weimar, 1997), a Ordem do Mérito da República Federal da Alemanha (1997), o Prêmio Nacional de Tradução da Áustria (Viena, abril de 1997) e o Prêmio Aristeion da União Europeia (1998).

Desde 1999, ele é membro da Academia Alemã da Língua e da Poesia, Deutsche Akademie für Sprache und Dichtung, e leu seu discurso “Cinco minutos”, em Darmstadt (2000). Em 2002, foi nomeado doutor honoris causa em Tradução e Interpretação pela Universidade de Salamanca — foi o primeiro dos tradutores espanhóis em receber, como tal, esse reconhecimento acadêmico.

Em 22 de novembro de 2012, Miguel Sáenz foi eleito pela RAE para ocupar a cadeira «b». Para conhecê-lo mais um pouco, você pode ingressar em https://www.youtube.com/watch?v=21s-7s_oW5Y e ver seu discurso de ingresso na RAE, titulado “Servidão e grandeza da tradução”. Miguel Sáenz faz parte da lista de convidados especiais para o Congresso junto com Georges Bastin (videoconferência), Frederic Chaume, Bente Christensen, Jorge Diaz-Cintas, Chris Durban, Andrew Graham-Yooll, Marianne Lederer, Antonio Martín e Alicia María Zorrilla.




  • Lawrence Venuti

Lawrence Venuti, professor de Língua inglesa da Universidade Temple; teórico da tradução; historiador e traductor de italiano, francês e catalão. Autor de The Translator’s Invisibility: A History of Translation (2da. ed., 2008), The Scandals of Translation: Towards an Ethics of Difference (1998) e Translation Changes Everything: Theory and Practice (2013). Editor de The Translation Studies Reader (3ra. ed., 2012). Seus trabalhos de tradução incluem a antologia Italy: A Traveler’s Literary Companion (2003), o romance policial de Massimo Carlotto The Goodbye Kiss (2006), e Edward Hopper: Poems (2009) de Ernest Farrés, obra que foi reconhecida com o prêmio à tradução Robert Fagles.


  • Jost Zetzsche (VÍDEO CONFERÊNCIA)

Jost Zetzscheé consultor no campo da indústria da traduçãoe da tecnologia da tradução.Além disso, é umreconhecido escritor sobre diversos aspectos da traduçãoe da localização, tradutor técnico inglês-alemão certificado pela ATA e um palestrante muito solicitado internacionalmente. Nativo de Hamburgo, Alemanha, ele se doutorou emHistória da tradução chinesa e Linguística na Universidade de Hamburgo.Seu guia de computação para tradutores se encontra em suadécimasegunda edição, enquanto sua revista técnica para a indústria da tradução chega a mais de 11.000 tradutores. Em2012, a Penguin publicou seu Found in Translation (“Encontrado na Tradução”), um livro sobre a traduçãoea interpretaçãoescrito em cooperaçãoedirigido ao público em geral. Ele é membro da junta editorial daMultiLingual Magazine (“Revista Multilingue”) e daJournalofInternationalisationandLocalisation (“Internacionalizaçãoe Localização”). Suaconta de Twitteré @jeromobot.



  • ALICIA MARÍA ZORRILLA

Alicia Maria Zorrilla nasceu em Buenos Aires (Argentina) em 8 de dezembro de 1948. É membro de número da Academia Argentina de Letras e vice-presidenta desta corporação; membro correspondente hispano-americana da Real Academia Española; membro da Asociación Mexicana de Profesores de Lengua y Literatura; doutora em Letras pela Universidade del Salvador; licenciada em Filologia Hispânica pela Universidade Complutense de Madrid; professora especializada em Castelhano, Literatura e Latim; professora adscrita à cadeira de Literatura Hispano-americana. Em 2013, foi condecorada com a Medalha de São Jerônimo pelo Colegio Nacional de Traductores del Peru. É membro de honra da Unión de Correctores de Madrid; presidenta e diretora acadêmica da Fundação Instituto Superior de Estudos Linguísticos e Literários LITTERAE; e fundadora e diretora da Cadeira de Pesquisas Gramaticais Dra. Ofelia Kovacci, na Universidade del Salvador (Argentina). É autora de obras literárias e linguísticas, entre elas, Retrato de la novela; La voz sentenciosa de Borges; La soledad compartida (poemas); Normativa lingüística española y corrección de textos.








participantes especiais
Confirmados


  • GUILLERMO CABANELLAS

Nasceu em Buenos Aires em 14 de julho de 1950. Obteve os títulos de Bacharel em Economia (1971) e de Advogado (1972) na Universidade Nacional de Buenos Aires, e os títulos de Mestre em Direito Comparado (1975) e de Doutor em Ciências Jurídicas (1978) na Universidade de Illinois. Ele tem sido professor visitante e associado nas universidades de Illinois, Loyola de Los Angeles e Miami, desde 1978 até hoje. É professor das universidades de San Andrés, Austral e Nacional de Buenos e professor honorário da Universidade Católica de Arequipa. Foi pesquisador do Instituto Max Planck, em Munique.

Guillermo é sócio do escritório de advocacia Cabanellas, Etchebarne y Kelly. É autor de vários dicionários bilíngues (inglês-espanhol, espanhol-inglês):

- Diccionario jurídico (dois volumes)
- Diccionario bancario.
- Diccionario de términos económicos, financieros y empresarios (dois volumes) Publicou diversas obras e estudos sobre tradução, entre elas “The legal environment of translation” (Routledge, 2014).

Ele é autor de mais de quarenta livros e cem artigos sobre temas jurídicos, publicados em países como Argentina, Estados Unidos, Grã-Bretanha, Espanha, Alemanha, Polônia e Japão, entre outros.



  • XOSÉ CASTRO ROIG

Xosé Castro é tradutor e intérprete de inglês, revisor de estilo, roteirista, apresentador de televisão e colaborador em programas de rádio. Ele tem ministrado mais de uma centena de cursos sobre suas especialidades profissionais em empresas públicas e privadas da Espanha e de outros países, meios de comunicação e imprensa, em todas as faculdades de tradução e interpretação públicas e privadas da Espanha, em faculdades, cursos e mestrados de Jornalismo, e em instituições acadêmicas de países como Estados Unidos, Irlanda, Reino Unido, México, Guatemala, Argentina, Colômbia, Venezuela, Chile... e em órgãos públicos como a Direção Geral de Tradução da União Europeia, em Bruxelas e Luxemburgo.

Ele colaborou em uma dúzia de livros, como o primeiro Manual de estilo de El País, o Manual de estilo interno de Red Eléctrica de España, o Manual de estilo para los nuevos medios ou Palabras Mayores: 199 recetas infalibles para expresarse bien e tem redigido mais de duzentos artigos sobre comunicação, redação, tradução, informática aplicada, automação de escritório e linguística, e alguns de seus textos fazem parte do temário oficial de centros de ensino de línguas na Espanha, na IberoAmérica, nos Estados Unidos e no Canadá. Xosé também é assessor do Centro Virtual Cervantes do Instituto Cervantes e membro ativo da ATA (Associação Estadunidense de Tradutores) e da Asetrad (Associação Espanhola de Tradutores, Revisores e Intérpretes).



  • PABLO MUGÜERZA (VÍDEO CONFERÊNCIA)

Estudou inglês, francês e alemão na Escola Oficial de Idiomas de Madrid antes de entrar na Universidade Complutense de Madrid, em cuja Faculdade de Medicina concluiu seus estudos de Medicina e Cirurgia em 1987. Na época, ele já traduzia medicina do inglês para o espanhol como autônomo, para a editora McGraw-Hill/Interamericana de España, SA., até ocupar o cargo de Diretor de Traduções da referida editora em 1992. Três anos depois ele voltou ao setor autônomo, e desde então continua ali. Em maio de 2011 começou a trabalhar como tradutor externo para a sede genebrina da Organização Mundial da Saúde.

Ele foi um dos autores do glossário EN-ES de ensaios clínicos (com María Verónica Saladrigas, Fernando A. Navarro, Laura Munoa e Álvaro Villegas) que foi publicado na revista Panacea, em 2008. Em abril de 2012 publicou seu manual de tradução EN>ES de protocolos de ensaios clínicos, com o patrocínio da Fundación Dr. Antonio Esteve. O livro, que é distribuído e pode ser baixado de forma gratuita, é um dos mais solicitados da coleção a que pertence.

Pablo é membro da ITIMedNet. Ministra cursos de tradução médica, presenciais e via Internet. Desde 2009 até hoje sua atividade como palestrante e professor tem sido intensa, tanto em espanhol como em inglês. Ele participou de congressos e cursos na Espanha (Málaga, Madri, Sevilha, Castellón, Santander, Alcalá de Henares e Toledo), Estados Unidos (Nova York, San Diego, Chicago), Alemanha (Friburgo), Reino Unido (Londres), Hungria (Budapeste) e Argentina (Buenos Aires e Rosario).




  • MAREK PAWELEC

Em 1992, Marek Pawelec se formou como bacharel em Biologia Molecular pela Universidade Jagiellonian. Ele tem trabalhado como pesquisador nas faculdades de Medicina e Química da Universidade Jagiellonian, em Cracóvia, Polônia. Em 2001, começou a trabalhar como tradutor do inglês ao polaco em tempo integral, primeiro na área de literatura e depois incorporou traduções técnicas dentro dos campos da Medicina, Bioquímica e Química. Marek traduziu 31 romances e vários milhões de termos de textos de medicina: manuais de equipamento médico, farmacologia, e textos relativos a ensaios clínicos e DIV. Possui ampla experiência em tradução relativa a SDS. Ele é um experimentado usuário e treinador de programas de tradução assistida por computador; formador certificado de memoQ; palestrante em conferências de tradução e professor de aspectos práticos da tradução independente, ferramentas de tradução assistida por computador e programas relativos à tradução; está interessado na terminologia e na comunicação técnica. Ele contribui, na medida de suas possibilidades, com Tradutores sem Fronteiras.




  • CRISTINA PÉREZ

Cristina Pérez é jornalista. O amor pelas letras é uma dimensão fundacional de sua vocação como comunicadora. Atualmente, ela apresenta Telefe Noticias às 20 horas, o jornal líder na TV aberta da Argentina e no canal líder, Telefe. Ali apresenta as notícias junto com Rodolfo Barili desde 2002.

Em 2013, publicou seu primeiro livro de ficção, Cuentos inesperados (Sudamericana) e, em 2015, seu primeiro romance, El jardín de los delatores. Além disso, ela continua a projeção de sua carreira dramática, que já inclui três papéis de protagonista em peças de Shakespeare: Rainha Elizabeth, Cleópatra, Lady Macbeth, sob a direção de Patricio Orozco, criador do Festival Shakespeare Buenos Aires.

Em 2012, ela concretizou o grande sonho de iniciar a sua carreira como atriz, alicerçada em anos de estudo de literatura inglesa e canalizada na interpretação de peças de William Shakespeare. O pontapé foi em Macbeth, Asesino del Sueño, peça na qual interpretou Lady Macbeth, dirigida por Patricio Orozco e no marco do Festival Shakespeare de Buenos Aires.

Cristina é membro do FOPEA (Fórum de Jornalismo Argentino) uma ONG que prega melhores padrões profissionais. Cursou estudos em História, Inglês e Literatura inglesa (Oxford Continuing Education, University of London, OISE, Boston). Ela escreve prosa e poesia. Sua mais feliz vocação é a de leitora apaixonada.




  • PATRICK ZABALBEASCOA

Patrick Zabalbeascoa é professor titular pela Universidade Pompeu Fabra de Barcelona, na Espanha. Ele é especialista em teoria da tradução, sobretudo, no relacionado com os casos de ironia, humor, tradução audiovisual em geral e com a formação dos tradutores, bem como dos professores de idiomas. Esses são os temas de suas publicações acadêmicas e sua docência universitária.





Principais oradores

Confirmados